Milagres Católicos

Sobreviventes da explosão da bomba atômica em Hiroshima, 19451

Um pequeno grupos de padres conseguiram sair ilesos e não sofreram os efeitos devastadores do ataque atômico a Hiroshima no dia 6 de agosto de 1945. A casa paroquial com oito moradores Jesuítas, que distava aproximadamente apenas 800 metros da explosão, ficou de pé e os seus moradores ficaram ilesos. O Pe. Hubert Shiffer era um deles e tinha então 30 anos. Depois viveu mais 33 e juntamente com os moradores não sofreram as conseqüências da radioatividade. Ele contou a sua experiência no Congresso Eucarístico da Filadélfia (EUA) em 1976. Neste mesmo ano, todos os membros daquela comunidade continuavam vivendo em ótimo estado de saúde sem sofrer as conseqüências da explosão. O Pe. Shiffer foi examinado e interrogado por mais de 200 cientistas que não puderam explicar como, no meio de milhares de mortos, ele e seus companheiros tinham podido sobreviver. O Pe. Shiffer afirmou que centenas de cientistas e pesquisadores por vários anos continuaram a investigar por que a casa paroquial não foi atingida quando tudo ao redor ficou arrasado. E o Padre explicou, dizendo: Naquela casa se rezava todos os dias, em comum, o Santo Rosário. Por isso, foi protegido por Nossa Senhora!2
Testemunho do Padre Schiffer S.J., sobrevivente de Hiroshima:

Milagre do Rosário em Hiroshima: de 6 de agosto de 1945
Durante a Segunda Guerra Mundial duas cidades japonesas foram destruídas por bombas atômicas: Hiroshima e Nagasaki.

Em Nagasaki, como resultado da explosão, todas as casas em um raio de aproximadamente 2,5 Km do epicentro onde caíra a bomba, foram destruídas. Aqueles que estavam dentro das casas ficaram soterrados, os que estavam fora, ficaram queimados.

No meio desta tragédia, uma pequena comunidade de Padre Jesuítas vivia junto à Igreja Paroquial, a somente oito quadras (aproximadamente 1 Km) do epicentro da queda da bomba. Eram missionários alemães servindo o povo japonês. Como os alemães eram aliados dos japoneses , haviam lhes permitido ficar naquela localidade.

A Igreja junto a casa dos Jesuítas ficou destruída, porém a casa permaneceu de pé, e os membros da pequena comunidade jesuíta nada sofreram, e nem sequer quaisquer seqüelas por parte da radiação, perda de audição,ou nenhuma outra enfermidade ou efeito.

O Padre Hubert Schiffer foi um dos Jesuítas de Hiroshima, e tinha 30 anos quando explodiu a bomba atômica nessa cidade. Ele viveu até os 63 anos de idade gozando de boa saúde. Ele narrou suas experiências em Hiroshima no Congresso Eucarístico que aconteceu na Filadélfia, nos Estados Unidos em 1976. E nesta época os outros oito membros da comunidade Jesuíta estavam todos vivos.

O Padre Schiffer foi examinado e interrogado por mais de 200 médicos e cientistas que foram incapazes de explicar como ele e seus companheiros haviam sobrevivido ao desastre atômico.

O Padre Schiffer atribuiu à proteção da Virgem Maria a salvação de suas vidas, e disse: “Eu estava no meio da explosão atômica e estou aqui, vivo e salvo. Não fui atingido pela destruição”.

Durante vários anos Centros de Pesquisas e especialistas estudaram as razões científicas pelas quais aquela comunidade de Jesuítas não foram afetados pela explosão atômicas.
Padre Schiffer explicou que a única coisa que faziam de diferente na casa no momento da explosão é que: “rezávamos o Rosário diariamente na casa”.

Na outra cidade, também devastada pela bomba atômica, NagasaKi, São Maximiliano Kolbe, havia estabelecido um convento Franciscano, que também nada sofreu, ficando intacto. Os irmãos foram protegidos graças a proteção da Virgem Maria. Ali também diariamente rezavam o Santo Rosário.

EQM: Gloria Polo Sobrevive à Um Raio, 19953

"Gloria Polo foi atingida por um raio, o acontecimento foi no dia 5 de maio de 1995 na Universidade Nacional de Bogotá. Após ser reanimada e ter boa parte do corpo carbonizado ela escreveu um livro chamado livro da vida, sobre o encontro que teve com Deus. Ela viveu o julgamento de todos os seus atos aqui na terra e que estava para ser condenada à morte eterna, quando recebeu de Jesus uma segunda chance, acompanhada de uma ordem: ela teria que mudar radicalmente de vida e testemunhar aos outros a experiência pela qual passara e informações sobre o Inferno, o Céu, o Purgatório e o Pecado. Os médicos não acreditavam que ela pudesse sobreviver. A colombiana conta que, neste estado, inconsciente, teve um encontro com Jesus… Logo após, Gloria saiu do coma e teve uma recuperação totalmente milagrosa. O fato foi amplamente noticiado na mídia de seu país. Glória Polo divulga em várias partes do mundo o seu testemunho e o seu livro sem fins lucrativos."

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License