São Mateus

Mateus, filho de Alfeu, era publicano ou coletor de impostos, em Cafarnaum, quando Jesus o chamou. Na ocasião, o futuro apóstolo convidou Jesus para um banquete, que ofereceu também aos colegas de profissão. Coletar impostos para os dominadores romanos era tido pelos judeus como pecaminoso: daí o apelidarem de publicanos ou pecadores públicos aos coletores (Mt 9,9-10).

Os evangelistas Marcos (2,14) e Lucas (5,27), por delicadeza preferem dar a Mateus o seu segundo nome, Levi, bem mais honroso entre os israelitas.

Depois da ascensão de Jesus, Mateus continuou algum tempo na Palestina, pregando aos compatriotas. Não sabemos com total certeza aonde tenha, em seguida, levado a pregação, que por fim confirmou com o martírio: provavelmente à Arábia, à Etiópia, à Pérsia ou à região dos partas.

Os santos Padres - grandes autores dos primeiros tempos cristãos - são unânimes em atribuir a Mateus o primeiro Evangelho, escrito para demonstrar aos israelitas que Jesus é o Filho de Deus, o Messias anunciado pelos profetas. Daí a constante referência a passagens do Antigo Testamento.

Conforme escreve Papias nos inícios do século II, "Mateus compôs em língua hebráica (o popular aramaico) os discursos do Senhor", entendendo, com o termo discursos, também os fatos da vida de Jesus, como o próprio Papias o atesta, quando mais adiante discorre sobre o Evangelho de Marcos.

Mateus escreveu entre os anos 50 e 54. Mas o aramaico, língua de quase toda a Palestina já nos tempos de Jesus, era pouco falado na Diáspora, Sentiu-se logo a necessidade de redigir o Evangelho na língua universal da época, o grego popular. Essa tradução ou redação, segundo a maioria dos estudiosos, deve-se ao próprio Mateus, pouco mais tarde, ainda antes do ano 60. E nesse trabalho, muito lhe valeu o Evangelho de Marcos, já bastante conhecido.

O texto grego do primeiro Evangelho foi sempre aceito por todos os santos Padres como original inspirado, enquanto o aramaico se perdeu sem deixar vestígios, provavelmente nas desordens e destruições da guerra de 70.

Segundo o Martirológico Romano, que fixa a sua festa em 21 de setembro, são Mateus selou seu apostolado com o martírio na Etiópia. Suas relíquias veneram-se, desde o ano 954, na catedral de Salerno, na Itália meridional.

Pode o primeiro Evangelho dividir-se em três partes:

  1. Infância de Jesus: 1 - 2
  2. Vida pública de Jesus: 3 - 25
  3. Paixão, morte e glorificação de Jesus: 26 - 28

  • Comemoração: 21 Setembro

São Mateus, apóstolo e evangelista
São Mateus deixou tudo imediatamente, pondo de lado a vida ligada ao dinheiro e ao poder. A Igreja celebra nesse dia, de forma especial, a vida de São Mateus apóstolo e evangelista, cujo nome antes da conversão era Levi. Morava e trabalhava como coletor de impostos em Cafarnaum, na Palestina. Quando ouviu a Palavra de Jesus: "Segue-me" deixou tudo imediatamente, pondo de lado a vida ligada ao dinheiro e ao poder para um serviço de perfeita pobreza: a proclamação da mensagem cristã! Mateus era um rico coletor de impostos e respondeu ao chamado do Mestre com entusiasmo. Encontramos no Evangelho de São Lucas a pessoa de Mateus que prepara e convida o Mestre para a grande festa de despedida em sua casa. Assim, uma numerosa multidão de publicanos e outros tantos condenados aos olhos do povo, sentaram-se à mesa com ele e com Àquele que veio, não para os sãos, mas sim para os doentes; não para os justos, mas para os pecadores. Chamando-os à conversão e à vida nova. Por isso tocado pela misericórdia Daquele a quem olhou e amou, no silêncio e com discrição, livrou-se do dinheiro fazendo o bem. É no Evangelho de Mateus que contemplamos mais amplamente trechos referentes ao uso do dinheiro, tais como: "Não ajunteis para vós, tesouros na terra, onde a traça e o caruncho os destroem." e ainda: "Não podeis servir a Deus e ao dinheiro." Com Judas, porém, ficou o encargo de "caixa" da pequena comunidade apostólica que Jesus formava com os seus. Mateus deixa todo seu dinheiro para seguir a Jesus, e Judas, ao contrário, trai Jesus por trinta moedas! Este apóstolo a quem festejamos hoje com toda a Igreja, cujo significado do nome é Dom de Deus, ficou conhecido no Cristianismo nem tanto pela sua obra missionária no Oriente, mas sim pelo Evangelho que guiado pelo carisma extraordinário da inspiração pôde escrever, entre 80-90 na Síria e Palestina, grande parte da vida e ensinamentos de Jesus. Celebramos também seu martírio que acabou fechando com a palma da vitória o testemunho deste apóstolo, santo e evangelista. São Mateus, rogai por nós!

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License